Cancer de vulva

O Cancer de vulva é um tumor raro, mas muito maligno. É uma doença da genitália externa feminina, portanto, dos lábios e o clitóris. Os primeiros sintomas que podem ser notados são coceira e pequenos nódulos ou úlceras, visíveis na hora de realizar os cuidados normais do corpo. Como regra geral, esta doença é diagnosticada em mulheres mais velhas e fumantes. Os casos em fase avançada de câncer vulvar podem ser observados em mulheres com status social mais baixo. Existem dois tipos desse câncer na medicina:

  1. Os menos difundidos, em mulheres com idade de 50 anos, estão associados ao HPV. Tem a forma de úlceras, bem como alterações na cor vermelha, rosa ou branca.
  2. Câncer em mulheres acima de 70. Tem a forma de um nódulo indolor e a base do desenvolvimento são alterações na mucosa e na pele da vulva.

Tipicamente, o crescimento real do tumor precede as alterações no epitélio, conhecidas na medicina como neoplasia endotelial. Nas mulheres que são regularmente examinadas pelo médico, essas mudanças são quase imediatamente perceptíveis. Uma intervenção médica precoce significa que não há crescimento de células cancerígenas. Este tipo de câncer muitas vezes se desenvolve de forma multifocal. Como os primeiros sintomas não são graves, eles são muitas vezes negligenciados. Na fase posterior da doença, podem ocorrer hemorragias, dor durante ao urinar ou se sentar.

 

O que mais eu preciso saber

Este tipo de câncer é raro. De acordo com os dados mais recentes, na Polônia, uma em 100 mil mulheres sofre de câncer vulvar. Afeta principalmente as mulheres de idade avançada e representa menos de 1% de todas as neoplasias malignas, que afetam principalmente as mulheres. Curiosamente, observa-se a maior incidência nos países chamados de altamente desenvolvidos.

Para diagnosticar a doença, o ginecologista faz o esfregaço dos locais alterados, que posteriormente são examinados. No entanto, muitas vezes acontece das mulheres relatarem o problema tarde demais. Elas vão ao médico, quando as alterações são graves e a metástase já ocorreu.

Este tipo de câncer é geralmente tratado com métodos drásticos, como a remoção dos lábios com o tumor e grande parte do tecido. Portanto, muitos estudos são realizados antes desta decisão – como exames de ultrassom, exames de sangue ou citologia cervical – para verificar se há metástases. A radioterapia e a quimioterapia também são utilizadas, porém esse tipo de câncer é resistente a elas. O tratamento e a recuperação geralmente são mais difíceis pela idade do paciente e pela presença de outras doenças.

O prognóstico é muito bom na detecção precoce de alterações neoplásicas. Um problema é a tendência de recaída da doença, razão pela qual a mulher deve permanecer sob supervisão médica permanente após a operação. Metástases e pequenas margens para a cirurgia pioram o prognóstico.